Você está aqui: Página Inicial > Área do Servidor > Nossa Saúde > Tatiane Leocádio Temóteo

Nossa Saúde

Tatiane Leocádio Temóteo

Servidora do IFPI há quatro anos, Tatiane é nutricionista do Campus São Raimundo Nonato.
publicado: 26/10/2017 15h01 última modificação: 09/05/2018 16h53

Manter uma boa rotina alimentar pode ser um desafio, principalmente para quem tem a vida corrida: trabalho, casa, lazer, estudo, etc. No dia a dia, precisamos ter concentração, disposição e rendimento em nossas atividades profissionais. E a alimentação conta muito para a saúde do corpo e da mente. Com a proposta de conscientizar o público sobre a importância de adotar hábitos mais saudáveis para a promoção e melhoria da qualidade de vida, foi editada a Portaria Normativa n° 7/2016, que institui as diretrizes da alimentação saudável nos ambientes de trabalho do serviço público federal.

O objetivo é fazer com que os órgãos públicos desenvolvam ações de educação alimentar e nutricional, hábitos de vida e alimentação saudáveis, avaliações de saúde dos servidores, entre outras estratégias. Para falar da temática, conversamos com a nutricionista do Campus São Raimundo Nonato, Tatiane Leocádio Temóteo, doutoranda em Nutrição em Saúde Pública, servidora do IFPI há 4 anos.

Qual a importância e benefícios de uma alimentação saudável para o servidor?

Para uma alimentação adequada e saudável, todos devem estar atentos à escolha dos alimentos, à forma de transformá-los em refeições e ao ato de comer: tempo, local e companhia.

Qual o resultado de uma alimentação inadequada?

Temos acompanhado as mudanças no consumo alimentar da população, promovidas, entre outros fatores, pelo aumento do consumo de alimentos processados e ultraprocessados. Estamos pagando um preço muito caro por isso: perdendo saúde e vidas.

No Brasil, mais de 70% das causas de morte em 2015, segundo o Ministério da Saúde, foram atribuídas às doenças cardiovasculares e respiratórias, ao diabetes e ao câncer; são as doenças crônicas não transmissíveis (DCNTs) que possuem quatro elementos que favorecem o seu desenvolvimento: alimentação não saudável, inatividade física, tabagismo e uso nocivo de álcool.

Diante desse problema de saúde pública, precisamos cuidar mais da nossa saúde e, em relação à alimentação, fazer melhores escolhas dos alimentos que consumimos.

Quais alimentos devem ser consumidos diariamente?

A recomendação é que devemos preferir alimentos in natura ou minimamente processados, ou seja, devemos nos alimentar da forma mais natural possível.

Alimentos in natura são obtidos diretamente de plantas ou de animais e não passam por nenhuma alteração após deixar a natureza. Já os minimamente processados são os alimentos in natura que foram submetidos a processos de limpeza, remoção de partes não comestíveis ou indesejáveis, fracionamento, moagem, secagem, fermentação, pasteurização, refrigeração, congelamento e processos similares em que não se adicione sal, açúcar, óleos, gorduras ou outras substâncias ao alimento original.

Para um bom rendimento no trabalho e em casa, que alimentos aumentam a concentração e disposição?

A alimentação equilibrada e variada conforme os alimentos recomendados é o que se apresenta como essencial para a saúde, sobretudo porque os alimentos contêm componentes (nutrientes) em proporções diferentes e cada nutriente apresenta diversas funções bem definidas.

De fato, arroz, feijão, milho, raízes e tubérculos, farinhas e massas, por exemplo, concentram mais carboidratos cuja principal propriedade é abastecer o corpo com energia para o dia a dia. Frutas, legumes e verduras, o azeite extravirgem, pescados, castanhas, nozes, amêndoas e amendoins são ricos nutrientes antioxidantes, isto é, combatem o envelhecimento das células, além de conter nutrientes que participam do desenvolvimento e funcionamento do cérebro.

Para os servidores que levam almoço para o trabalho, como fazer para comer de forma equilibrada e saudável?

Vivemos na era dos shakes e dos “alimentos” fabricados. Não podemos nos render ao bombardeio de informações das indústrias de alimentos, em geral associadas a grandes corporações farmacêuticas, que nos vendem a ideia de facilidade e de ganho de tempo de preparação das nossas refeições.

Cozinhar e levar nossa refeição para o trabalho é segredo. Ao longo das décadas, à medida que as pessoas começaram a se afastar dessa prática, perderam saúde. Então, desenvolver, exercitar e partilhar habilidades culinárias e preparar e cozinhar os alimentos é fundamental.

Quais os cuidados para quem faz as refeições fora de casa?

Ao comer em restaurantes, atentar às recomendações de escolher os alimentos in natura ou minimamente processados e observar que há uma tendência a comer em maior quantidade quando há oferta em grandes porções ou de forma ilimitada. Em geral, os restaurantes “de comida no quilo” oferecem maior variedade de alimentos e melhor alternativa para o dia a dia.

O detalhe é evitar excessos e, se possível, procurar comer em companhia de familiares, amigos ou colegas de trabalho. Em refeições compartilhadas, evita-se que se coma rapidamente e trocam-se experiências. Em família, aumenta-se o envolvimento. No trabalho ou na escola, aumenta-se o senso de pertencimento e melhora-se o desempenho de tarefas.

Que alimentos ajudam a aumentar a imunidade?

Uma pesquisa do Jornal Britânico de Nutrição revisou estudos sobre os nutrientes relacionados à imunocompetência. Como fontes desses nutrientes, são apontadas as carnes, os pescados, leite, ovos, cereais, feijão, castanhas e nozes, as frutas, verduras e os legumes.

Que alimentos devem ser evitados?

O uso de alimentos processados deve ser limitado. São alimentos fabricados pela indústria com a adição de sal ou açúcar ou outra substância de uso culinário para torná-los mais duráveis.

Já os alimentos ultraprocessados devem ser evitados. São produtos industriais à base de substâncias extraídas de óleos, gorduras, açúcar, amido, proteínas; ou gorduras hidrogenadas e amido modificado; ou ainda sintetizadas em laboratório utilizando petróleo e carvão para obtenção de corantes, aromatizantes, realçadores de sabor e outros tipos de aditivos.

Qual a importância do nutricionista no campus para os alunos e servidores?

Principalmente promover e defender a alimentação adequada e saudável dos usuários. São inúmeras as atividades de planejamento e execução para que isso ocorra. Em todos os campi, os nutricionistas são os servidores habilitados para desempenhar essa função, no entanto, devem contar com o envolvimento de todos para reunir condições e requisitos necessários à promoção da nutrição e saúde por meio da alimentação.

registrado em: