Você está aqui: Página Inicial > Área do Servidor > Entrevistas > Layanna Cibelle de Sousa Assunção Carvalho

Entrevistas

Layanna Cibelle de Sousa Assunção Carvalho

Layanna ingressou como docente, no Campus Picos, em agosto de 2014. Hoje, está lotada no Campus Pedro II.
publicado: 26/10/2017 15h01 última modificação: 07/11/2017 10h32

A animação e o bom humor são características da personalidade de Layanna Cibelle Assunção, professora de Educação Física do Campus Pedro II desde 2015. Em sua trajetória pelo IFPI (Instituto Federal do Piauí), ingressou como docente, no Campus Picos em agosto de 2014.

Na entrevista a seguir, Layanna relata experiências marcantes vividas em sua trajetória pessoal e profissional, e fala sobre sua pesquisa de mestrado com o néctar de jamelão. Ela constatou propriedades antioxidantes da fruta que promovem melhoria na capacidade física dos atletas, reduzindo até o dano muscular. Confira isso e muito mais na entrevista a seguir:

Onde nasceu e como foi sua infância?

Eu nasci em Colinas no Maranhão. A minha infância foi marcada por brincadeiras, banhos de rio e principalmente, pela vaquejada que acontece todos os anos, sempre no final de julho.

Morei em Colinas até os 14 anos. Para cursar o ensino médio tive que vir morar em Teresina, na casa dos meus tios. Prestei vestibular em 2005. Passei em primeiro lugar para Educação Física na UESPI e para Nutrição na UFPI, a partir daí comecei a cursar os dois simultaneamente.

Qual é o seu projeto de mestrado?

A minha dissertação de mestrado é intitulada "Efeitos da suplementação com néctar de jamelão (Syzygium cumini) sobre o estresse oxidativo, dano muscular e desempenho de atletas de Handebol", defendida no Programa de Pós-Graduação em Alimentos e Nutrição da UFPI. A pesquisa é inovadora, pois integra uma área de estudo que investiga  a possibilidade de alguns alimentos, com propriedades antioxidantes, melhorarem a capacidade física e o desempenho esportivo de atletas.

O estudo foi desenvolvido em duas fases: a primeira consistiu na elaboração e avaliação do néctar de jamelão (fruta conhecida na nossa região como azeitona preta) que tem uma composição elevada de compostos antioxidantes.
O néctar de jamelão foi escolhido, também, pela possibilidade de estimular o consumo dessa fruta e o aproveitamento na indústria de alimentos. Na segunda fase, atletas de handebol de Teresina, foram suplementados, durante 28 dias, sendo que antes e após a suplementação, os mesmos foram avaliados quanto a parâmetros de estresse oxidativo, danos musculares e desempenho de força e resistência.

Os resultados foram positivos e demonstram que o néctar de jamelão foi capaz de reduzir o estresse oxidativo e o dano muscular e, consequentemente,  melhorar a condição fisiológica dos atletas, fatores que contribuem para o melhor  desempenho.

Como é trabalhar a disciplina de Educação física numa instituição voltada à educação profissional?

É desafiador. Exatamente pelo foco da instituição ser a profissionalização. Porém, assim como toda escola de educação básica, especialmente de nível médio, possui várias demandas do posto de vista social e de saúde. E a Educação Física nesse contexto permite o aprendizado de habilidades  e competências motoras que permitem ao aluno a aquisição de capacidade e autonomia para escolher ou organizar a própria atividade física.

É por meio da educação física escolar que se consegue prevenir ou reduzir  os índices de obesidade e sedentarismo na infância e adolescência, contribuindo de forma positiva para a saúde dos envolvidos.

Particularmente, no IFPI trabalho além das aulas de educação física que além de práticas também tem momentos de fundamentação teórica, com a execução de projetos de extensão, que permitem a iniciação e o treinamento de modalidades esportivas.

Você tem algum projeto sendo desenvolvido no Campus Pedro II?

Sim. Tenho um projeto com minhas alunas do curso de especialização em Nutrição. Na disciplina de Atividade Física e Promoção de Saúde desenvolvemos pesquisas relevantes para o diagnóstico de saúde envolvendo a comunidade e estudantes da cidade de Pedro II.

Investigamos a autonomia funcional de idosos atendidos pelo Programa Saúde da Família, no outro determinamos o estado nutricional e o nível de atividade física dos alunos do ensino fundamental. No âmbito do campus Pedro II, desenvolvemos um estudo que identificou os fatores de risco cardiovascular entre os estudantes.

Preocupada com a questão ambiental e buscando soluções sustentáveis aplicadas à promoção da prática de exercícios físicos, desenvolvemos e implantamos uma academia de ginástica ao ar livre no Campus Pedro II.

E, atualmente, estamos organizando o cronograma de pesquisa para o levantamento da aptidão física relacionada à saúde dos servidores do campus Pedro II, com a finalidade de fomentar a prática de exercícios físicos orientados, incluindo o ambiente laboral, ajustados às necessidades específicas dos servidores, assim como reduzir as dores ocupacionais e complicações ósteo-musculares (LER/DORT), caso possuam, e ainda incentivar a aquisição de estilo de vida mais ativo associado à maior socialização entre os servidores.

Em janeiro de 2017, ocorreu a eleição para a escolha do reitor e diretores gerais de 11 campi. Você era a presidente da Comissão Eleitoral Central que organizou as diretrizes e fiscalizou a sua realização. Como foi essa experiência?

A experiência foi incrível pois permitiu um crescimento profissional. O maior legado foi o trabalho em equipe e o senso de responsabilidade e agilidade para responder os processos eleitorais. Criei laços de amizade e tive oportunidade em conhecer as estruturas dos outros campi do IFPI.

O que o IFPI representa na sua vida?

Oportunidade de crescimento profissional, de novos aprendizados, de aplicação de conhecimento. Além é claro, de um sonho realizado, o IFPI representa uma segurança e tranquilidade do ponto de vista financeiro.

registrado em: